O Google+ já era

Deveria ser uma rede social para fazer frente ao Facebook, num momento em que o Google estava praticamente abandonando o – quem não se lembra? – Orkut. Foi assim que em 2011 a gigante das buscas lançou o Google+, na certeza de que tinha uma boa base nas mãos. Afinal, quem tinha Orkut, tinha uma conta no Google. Nem precisava de muita coisa.

Nem assim a rede emplacou. E naquele ano de 2011, o Facebook já era a maior rede social do mundo, o que ainda não mudou em 2018, Foi justamente depois que assumiu essa posição que o Facebook foi às compras: sabe o Instagram e o WhatsApp? São do Facebook. O Google tem várias plataformas nas mãos: YouTube, Blogger, Fotos, mas no que isso ajudou o Google+ em alguma coisa?

Por bem dizer, em nada. E para piorar as coisas, foi descoberto um vazamento de dados que comprometeu informações de 500 mil usuários, que tiveram seus dados expostos de 2015 até agora. Não é muita coisa, mas é um estrago feio. Um fim melancólico em uma rede que começou com todos os ingredientes para, por bem dizer, dar errado.

O Google+ possuía recurso para páginas de conteúdo de marcas, mas que empresa conseguia ter sucesso naquilo? Muito pouco. E as que se arriscaram, não tiveram sucesso.

A rede social vai ser completamente encerrada em agosto de 2019. E não vai deixar saudade assim como o Allo, o Wave, o Buzz…

Compartilhe este post