A aposentadoria do velho Paint

A Microsoft anunciou hoje o fim do Paint, aquele programinha de edição de desenhos em que praticamente todo criativo deu os seus primeiros passos, quando a gente nem pensava em trabalhar com edição de artes e afins. É, creio que você se lembra. O programa foi lançado em 1985 ainda no tempo do Windows 1.0, o primeirão. Como deve ser trabalhar com desenhos em 8-bit e sem tantos recursos hein?

Falo isso porque comecei a usar esse icônico programinha lá para 2001, quando a escola onde fiz a quarta série disponibilizava aulas de computação. E isso no – acredite – Windows ME (Millennium Edition), aquele que os especialistas em informática consideravam uma bomba na época (já perceberam que todo Windows inesquecível vem sempre depois de uma bomba? É o caso do ME, antecessor do XP, ou o Vista, antecessor do 7). Era fascinante só mexer com lápis, preencher com cor, e isso de modo primitivo. Foi naquele tempo que “um dia vou ter um computador”.

E quando fui ter, foi em 2008. Aí sim deslanchei, meus amigos. E naquele tempo era o início do Blog Josivandro Avelar, quando séries icônicas de desenhos que fazia no Paint iam ao ar, como o Paisagens na Janela. Tenho uns guardados e quero escrever mais sobre isso lá no blog, quando resolver a parada dos loops que tá deixando a página fora do ar até agora. O Paint foi a mãe de todas as artes que hoje você vê, feitas em programas mais elaborados, é claro.

Esse desenho foi uma das minhas primeiras artes. E eu fiz isso inteiramente no Paint.

No Paint dei os meus primeiros passos. Constituí material para os primeiros posts do blog. E fui caminhando passo a passo: Corel Draw, PhotoScape, até chegar no pacote Adobe. E pronto, aí sim posso dizer meus amigos: passei por praticamente tudo nessa vida, mas acredito que falta muita coisa ainda.

O sucessor

A aposentadoria do velho Paint já era uma bola cantada: no último pacote de atualizações do Windows 10, o chamado “Creators Update”, a Microsoft lançou uma versão “modernosa” do Paint, o Paint 3D, onde você pode desenhar objetos em três dimensões, o que já é um prenúncio do futuro da informática, em que mexeremos em objetos 3D, e que podem ser impressos em 3D. Hoje em dia as impressoras 3D não estão lá acessíveis, mas sabe como é a informática: uma vez o próprio computador pessoal era coisa de rico: hoje, quase todo mundo tem.

A próxima atualização do Windows 10 se dará em outubro, e é nela que o Paint será descontinuado. Mas existem excelentes alternativas freeware que podem substituir, como o Paint.net, que possui muito mais recursos. O PhotoScape não é para desenhos, mas pode suprir bem a necessidade de se ter um programa para tirar prints de tela, o que você pode fazer no programa mesmo sem precisar do comando de Print Screen.

Tenho certeza que os criativos do futuro terão excelentes alternativas para darem os seus primeiros passos na área. E nós, do presente, lembraremos de como o nosso começo foi tão divertido.

Compartilhe este post